8 dicas para perder peso com saúde e sem passar fome

Um passo a passo para quem quer deixar as gordurinhas para trás

Você quer perder peso, mas tem dificuldades de seguir dietas? Bem, podemos afirmar que não é só você. Existem muitas pessoas que decidem de uma hora para outra radicalizar nas decisões. Porém, poucos dias depois desistem do tão sonhado objetivo. O fato é que para emagrecer não existe fórmula mágica, o corpo precisa gastar mais calorias do que consome. É por isso que as duas das medidas mais importantes para chegar ao peso ideal são ajustar hábitos alimentares alinhados às atividades físicas.


De acordo com um estudo realizado em 2011 pela área de psiquiatria e psicologia do Grupo Hospital Conceição, cortar os alimentos que mais gostamos de comer nos faz ficar mais tristes, ansiosos e tensos. Por isso, algumas mudanças de hábitos simples são mais eficazes e duradouras quando falamos de corpo saudável e em forma.

Falando em saúde e boa forma conheça o programa:

[ACESSE]


Para que você consiga atingir seus objetivos com sucesso é importante acompanhamento clínico quando o assunto é perder peso. É muito arriscado você definir suas próprias metas sem conhecer o que está por trás da vida saudável. Uma meta mal definida pode acarretar num problema irreversível. Por isso, hoje vamos te dar X passos para você atingir esse objetivo.

Não pule o café da manhã

A primeira refeição do dia é a mais importante, segundo Dr. Lair Ribeiro. Comece o dia com um bom café da manhã e o seu corpo vai agradecê-lo por isso. Todas as refeições são importantes, mas começar o dia comendo bem ajuda a acelerar o metabolismo e ter mais energia durante o dia. Mas retire os pães, o leite de vaca e o açúcar. Dê preferência às proteínas. A sua refeição pode ser com ovos, uma porção de batata doce e café com uma colher de manteiga ghee. Uma fruta, como banana, cai muito bem em jejum, segundo médico Theo Webert, que atua em nutrologia e reequilíbrio corporal.

Faça pelo menos uma atividade física

Se você não tem tempo de ir à academia pela manhã, tire pelo menos 30 minutos da sua manhã para caminhar. Apesar de pesquisas apontarem que a caminhada em jejum pela manhã aumenta em até 20% a queima de calorias, é preciso levar em consideração que cada pessoa precisa de treinos específicos porque vai depender das condições físicas e preparo de cada um, bem como entender a estratégia de alimentação, mantida pelo restante do dia.

De acordo com Dra. Jacqueline Renault, um acompanhamento profissional, seja de um nutricionista e/ou preparador físico será essencial para conhecer melhor essas questões, individualmente. A Clínica Jacqueline Renault é referência em medicina personalizada, onde os profissionais trabalham em conjunto para atingir os objetivos finais do paciente.

Para uma melhor performance nas atividades físicas, leia o livro “Os segredos da saúde para obter sucesso nos exercícios”. Adquira agora!

Fique atento às calorias dos alimentos

Olhar o rótulo dos alimentos é uma boa maneira de controlar o consumo de calorias. Saiba que os carboidratos possuem 4 calorias por grama, enquanto as proteínas também contam com 4 calorias por grama e as gorduras possuem 9 calorias em cada grama. Aprenda a decifrar os rótulos dos alimentos .

Esqueça a bebida alcoólica

O álcool é uma substância tóxica para o organismo e o fígado dá preferência para metaboliza-lo primeiro. Essa mudança no metabolismo do fígado favorece o acúmulo de gordura no organismo.

Não esqueça de tomar água

Água pode ser uma ferramenta bem útil para quem pretende perder peso. Depois que bebemos água, o nosso metabolismo se acelera e ficamos com a sensação de que estamos cheios por mais tempo, e isso engana o corpo a pensar que estamos sem fome. Ou seja, suprime o apetite sem nenhuma caloria extra e ainda limpa o organismo de toxinas e excretas, além de evitar a retenção de líquidos. Um outo ponto é que a água permite que as toxinas presentes no organismo circulem mais depressa e sejam eliminadas mais facilmente.

Cuide do seu intestino

A flora intestinal do nosso corpo contém uma vasta quantidade de microorganismos, incluindo uma estimativa de 37 trilhões de bactérias. Muitas delas fazem bem ao nosso corpo, e é por isso que uma alimentação adequada é ideal para que se aumente a quantidade de bactérias que nos ajudam a ter um intestino funcionando corretamente. O indicado é ingerir uma grande variedade de frutas, legumes e grãos que contém fibras, que são carboidratos vegetais que não digerimos (ao contrário do açúcar e o amido) e aumentam a nossa sensação de estarmos cheios (assim como beber bastante água). Assim, uma dieta rica em vegetais e verduras pode auxiliar na perda de peso e renovar a flora intestinal, deixando-a mais diversa.

Tome cuidado com as dietas da moda, mas escolha uma

Existem uma série de dietas que prometem o emagrecimento rápido. Fique atento a que custo essa perda de peso é alcançada. Muitas delas levam à perda de músculos, o que é extremamente prejudicial a quem deseja emagrecer e manter o peso depois disso. Dê preferência as dietas:

Paleolítica: também conhecida como dieta paleo. Ela é um tipo de alimentação baseada nas refeições que nossos ancestrais realizavam na idade da pedra, ou seja de 2,5 milhões de anos até 10 mil anos antes de Cristo. Ela se fundamentava na caça, de modo que 19 a 35% da dieta era composta por proteínas, 22 a 40% de carboidratos e 28 a 47% de gorduras. Essa dieta é uma opção para as pessoas que desejam baixar o peso ou controlar melhor os níveis de açúcar no sangue, realizando algumas modificações no seu estilo de vida. Se embasa principalmente no consumo de alimentos frescos e naturais, evitando alimentos processados e consumindo os ricos em fontes de gordura saudáveis, como nozes, carnes com baixo teor de gordura, peixe e marisco.

Low carb: propõe reduzir a quantidade de carboidratos ingeridos. Este método defende que seja priorizado o consumo de carboidratos de baixo índice glicêmico, aqueles cuja glicose (açúcar) é absorvida em uma velocidade mais lenta e por isso não há picos de glicose e nem de insulina no organismo. São exemplos de alimentos de baixo IG a batata doce e o arroz integral.

Cetogênica: uma dieta para ser usada a curto prazo e não pode ser feita por todo mundo. É preciso conversar com um profissional para entender a necessidade energética, uma medida individual que leva em conta fatores como idade, sexo, peso atual, altura e nível de atividade física. Somente após análise, o médico pode ou não estabelecer um limite de calorias diário. O cardápio não é pré-definido, mas sim adaptado aos gostos de cada um, e é composto de carnes e alguns derivados (com exceção do leite), vegetais à vontade e gorduras de qualquer tipo.

Jejum intermitente: uma dieta para o emagrecimento que vem se mostrado eficaz inclusive na perda de peso de pessoas obesas. Consiste de um padrão de alimentação que alterna jejuns regulares de curto prazo com intervalos menores de ingestão de nutrientes. É adotado por muita gente famosa que busca perder peso de forma rápida.

Existem 3 métodos mais comuns: O jejum em dias alternados, em que você jejua dia sim dia não, comendo normalmente nos dias em que não está jejuando; a dieta 5:2, em que você fica 2 dias por semana sem comer; e o protocolo Leangains (ou método 16/8), em que você jejua por 16 horas e come por 8 horas. Entre os benefícios, além do emagrecimento, têm-se observado também em estudos recentes uma melhora na saúde mental, diminuição dos níveis de insulina, e renovação das células.

Durma bem

Estudos também indicam que dormir pouco (ou seja, menos de 5 ou 6 horas por dia) pode sim levar à obesidade. Isso ocorre porque há uma alteração nos hormônios leptina e grelina que controlam o apetite, o que leva a um aumento na fome e na ingestão calórica em um tempo disponível maior para se alimentar, além de gerar cansaço e diminuição da atividade física e do gasto energético. Em outras palavras, o nosso metabolismo é desacelerado e o corpo acaba retendo mais energia na forma de gordura. Além disso, há um aumento na produção de insulina e cortisol, que também levam a um armazenamento maior de gordura.

Hoje em dia, diversas pessoas têm buscado um estilo de vida mais natural, diminuindo o consumo de produtos industrializados e medicamentos e consequentemente, têm melhorado os hábitos diários.

A medicina ortomolecular investiga anormalidades orgânicas dos seus pacientes, e acredita que muitas de suas causas estão relacionadas ao desequilíbrio de vitaminas, nutrientes, hormônios e excesso de radicais livres no corpo. Por isso ela procura detectar e corrigir o desequilíbrio das funções celulares antes que as doenças se desenvolvam. Essa correção é feita a partir da suplementação com vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos e demais substâncias com ação antioxidante. Com essa correção dos nutrientes que faltavam, o organismo tende a prevenir as doenças crônicas e trazer mais saúde as pessoas.

No projeto Tempo é Vida, apresentamos diversas ferramentas, que são utilizadas no procedimento ortomolecular, com o intuito de fortificar a imunidade através da prevenção. Tendo como desafio: a busca pela qualidade de vida. E como resultado: uma vida mais saudável!

[CONHEÇA AQUI]

Por

Richard Günter & Carlos Magalhães

Jornalistas

Dra. Jacqueline Renault • Todos os direitos reservado • 2020 • Site criado por RG